12 passeios gratuitos (ou quase) no Rio

Em março o Rio de Janeiro, minha cidade do ❤ , faz 450 anos. São várias as comemorações que estão se espalhando pela cidade e eu não podia ficar fora dessa. Aqui vai minha homenagem para essa cidade linda, que eu amo e que apesar de todos os pesares, me inspira (quase) todos os dias. Vou fazer alguns posts com dicas para quem quer conhecer a cidade pelo olhar de uma carioca apaixonada.

Então esse primeiro post vai ser uma crítica também. O Rio de Janeiro está inflacionado: com copa do mundo e olimpíada a cidade está inteira em obras e os preços pequenos absurdos. Não é a toa que a galera apelidou nossa moeda de “suReal”.

Mas também não foi a toa que a cidade foi escolhida como sede desses grandes eventos. O Rio é um dos mais famosos cartões postais do Brasil e tem belíssimas paisagens. Mas a verdade é que não precisamos pagar uma fortuna para aproveitar a cidade, não. Sendo turista ou morador, dá para driblar os altos preços com atividades bem legais que são gratuitas ou que você só paga o que consumir. Segue minha lista de sugestões para não precisar tirar a mão do bolso.

1) Praia

Praia do Leme
Para encontrar a praia vazia só de manhã bem cedo.

Vamos começar do óbvio? As praias são públicas, abertas ao público e o Rio de Janeiro tem praia para todos os gostos. Desde as badaladas Ipanema e Copacabana até a praia do Grumari e da Prainha que ficam no meio de uma reserva ambiental. Não se paga nada para entrar nas praias, mas se você quiser alugar uma cadeira e um guarda-sol sai em torno de 20 reais em Ipanema. Um mate com biscoito globo, lanche típico da praia carioca, sai por 10 reais. Se a ideia for não gastar nada é só levar uma água bem gelada de casa, para não ter insolação (e se estamos falando de verão na cidade maravilhosa, eu estou falando bem serio).

Captura de tela 2015-01-20 às 16.01.13
Matte + biscoito globo. Tipico lanche carioca no verão.

Na praia de Ipanema e Arpoador, quando o sol se põe atrás do morro Dois Irmãos é possível  ouvir algumas palmas ao lindo pôr-do-sol. (Também é possível ver muito celulares sendo apontados em direção ao sol)

Ipanema por do sol
Horas das palmas!

2) Lapa

A Lapa é um bairro boêmio lotado de bares, restaurante e casas de shows. Algumas delas cobram entradas bem salgadas, mas para curtir o bairro não é preciso gastar tanto. Há uma cultura forte por ali de comprar bebida em barraquinhas na rua (nem sempre muito higiênicas para fazer drinks) ou em depósito de bebidas (os melhores preços) e ficar circulando pela porta dos bares que muitas vezes deixam a musica alta para atrair clientes. Mas atenção, se você não gosta de muvuca, pode passar esse. No verão, especialmente nos finais de semana, é muita gente na rua especialmente depois das 22h.

Captura de tela 2015-01-20 às 15.59.32
Só com muita chuva para ver a Lapa vazia assim.

Se você não curte muito a noite, no primeiro sábado de cada mês acontece a Feira da Lavradio, que surpreendentemente acontece na Rua do Lavradio na Lapa. São varias barraquinhas que vendem artesanato e antiguidades.

3) Lagoa

2014-08-12 17.56.16
Já deu para perceber que eu gosto do pôr-do-sol por aqui, né?

A Lagoa Rodrigo de Freitas possui em seu entorno uma ciclovia e alguns quiosques barzinhos. Também tem pedalinhos em alguns pontos do entorno, que permitem dar uma volta por dentro da lagoa (meia hora por volta de 20 reais, para duas pessoas). Mas não precisa, o parque dos patins (próximo ao bairro da gávea e do leblon) tem brinquedos para as crianças, pista de patins, sombrinha de árvore e uma ótima vista do cristo redentor. Do outro lado da lagoa é possível ver os dois irmãos e a pedra da gávea. Ir por lá dar uma volta, fazer picnic ou dar uma volta de bicicleta é certeza de ver uma vista bonita.

4) Santa Teresa
O Bairro de Santa Teresa fica no centro do Rio de Janeiro, mas como fica na parte alta da cidade tem saídas para a Zona Sul também. Santa, como os cariocas chamam o bairro carinhosamente, é um bairro charmoso, histórico, bohemio e festeiro. Tem vários restaurantes, museus, ateliês e tem também a promessa de voltar o bonde.

Vista parque das ruínasNo carnaval varios blocos saem por lá, cheios de pessoas fantasiadas que começam as 6h da manhã.

Carnaval em Santa Teresa

Fora do carnaval é possível ter uma vista linda do Parque das Ruínas.

Parque das Ruinas

Cerca de duas vezes por ano tem o Santa Teresa de Portas Abertas, com vários ateliês abertos, exposições e gente na rua trocando ideia.

5) Parque Lage

O Parque Lage fico próximo a Lagoa Rodrigo de Freitas e ao Jardim Botanico. É lá que funciona também a Escola de Artes Parque Lage, que volta e meia oferece alguns cursos e oficinas gratuitos. A escola tem cerca de 40 anos de funcionamento e fez parte da formação e da história de diversos artistas Brasileiros, como Glauber Rocha (que filmou parte do Terra em Transe lá), José Celso Martinez Correia (que montou Hamlet e o Rei da Vela usando o espaço da escola), Rubens Gerchman (que dirigiu a escola por um tempo), Caetano, Gil, Cazuza, Gil (que se apresentaram por lá), entre muitos outros.

Além disso, por ser muito arborizado é um ótimo lugar para fazer picnic.

Pic nic parque lage
Esse pic nic foi para comemorar o meu aniversário 🙂

É de lá que sai a trilha que leva bem perto do Cristo. Muitas pessoas usam o parque para estudar, fazer yoga, brincar com as crianças, etc.

6) CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil é o meu museu favorito na cidade. Não apenas pelo ar condici… Err, quer dizer, pela arquitetura lindíssima, mas também pelas exposições que quase sempre são muito legais e gratuitas.

O CCBB também fica próximo a Casa França Brasil, que eventualmente fazem exposições em conjunto e o Centro Cultural dos Correios. Os três tem exposições de graça, num lugar bacana e nos Correios e no CCBB também tem peças de teatro a noite, quase sempre com um preço bacana. Vale a pena olhar a programação.

7) Floresta da Tijuca e Cachoeiras

Parque Nacional Floresta da Tijuca é a maior floresta urbana reflorestada do mundo. A isso devemos agradecer a Dom Pedro II e os varios escravos que plantaram cada uma dessas árvores.

O parque possui varias trilhas, mirantes, áreas de lazer e cachoeiras, que são ótimas saídas para os dias de muito calor e praia lotada (não que as cachoeiras também não fiquem cheias né?).

Cachueira do Horto

A revista Veja indicou nessa matéria algumas das cachoeiras do parque e como chegar até elas.

8) Vista Chinesa

A Vista Chinesa é um antigo mirante da cidade que dá uma boa visão do Cristo, Pão de Açúcar, Lagoa.

vista chinesa
Mirante da Vista Chinesa.

Mas se você não estiver de carro vai ter que suar um pouco fica dentro do parque da floresta da Tijuca e os ônibus param beeeem mais embaixo. Tem uma galera guerreira que vai de bicicleta, mas eu não me arriscaria.

Vista Chinesa

Lá em cima não costuma ter nada para vender. Então leve sua própria água e lanchinho, aproveite para emendar na cachoeira.

Como é um lugar que pode ficar meio deserto vá apenas de dia, de preferência em grupo. Nunca vi assalto ou roubo nenhum ali e em alta temporada volta e meia tem policia pela região. Mas, de qualquer forma, fique atento.

9) Mureta da Urca

O bairro da Urca é um bairro residencial onde fica também a entrada para o bondinho do Pão de Açúcar. Mas, se o objetivo não é gastar uma grana para subir até lá, o bairro te dá outras opções para ver a cidade.

A mureta da Urca é point especialmente nos fins de tarde, quando o pessoal senta próximo ao Bar Urca para ver o sol se pôr.

Pôr do sol visto da mureta da Urca.
Pôr do sol visto da mureta da Urca.

10) Parque do Flamengo

aterro do flamengo
O parque fica em cima do Aterro do Flamengo, que foi feito quando acabaram com o morro do Castelo, que ficava no Centro da Cidade. Com a terra que sobrou de lá, aterraram parte da Bahia de Guanabara, fazendo um Parque e vias expressas.

aterro - bike

Alé de uma ótima vista do pão de açúcar, aos domingos e feriados as vias expressas são fechadas até as 18h para lazer. É possível alugar bicicletas para dar uma volta, fazer picnic, slack line…

11) Shows nas ruas e praças

Durante o ano todo é possível encontrar pela cidade rodas de samba, grupos de fanfarra e até de black music espalhados pela cidade fazendo apresentação em espaços públicos. Mas quando chega o verão é que isso é somado ao blocos de carnaval que abrem seus trabalhos já na primeira semana de janeiro. É ensaio na rua, é apresentação, desfile um mês antes do carnaval…

show santa teresa
Show na rua durante o carnaval.

Mas, vou citar alguns que acontecem o ano todo (ou quase). Na pedra do sal, no centro da cidade tem um samba que rola segundas feiras, de 18h as 23h. Domingo é dia de orquestra voadora no jardim do MAM. Também tem o Samba do Ouvidor, que acontece uma vez por mês aos sábados.

Para ficar ainda mais por dentro da programação esse site tem os circuitos por dia de música de rua no centro do Rio dá para acessar essa pesquisa realizada por dois ex-professores meus, onde tem a agenda de vários grupos:
Circuitos da Cartografia Musical do Centro do Rio de Janeiro.

Captura de tela 2015-01-20 às 15.49.23

12) City tour a pé

Descobri a pouco tempo que varias cidades do mundo possuem city tours a pé gratuitos. O Rio não é muito diferente. Existem dois grupos que oferecem o serviço que funciona na base da gorgeta.
Há passeios pelo centro do Rio, incluindo a Lapa e por Copacabana e Ipanema. Não precisa reservar apenas estar na hora marcada no ponto de encontro.
E você? Que lugar mais gosta de ir no Rio sem ter que gastar nada? Conta para mim nos comentários!!
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s